Psicopedagogia, Psicologia e Fonoaudiologia em Curitiba.

PSICOPEDAGOGIA

Você está aqui: Home Psicopedagogia

Psicopedagogia

Criado por Thais em Espaço Psicologia Psicopedagoga

As dificuldades de aprendizagem estão cada dia mais evidentes no meio escolar, e para que esse indivíduo possa se desenvolver com plenitude, a instituição de ensino deve trabalhar em parceria com profissionais especializados para que este aluno possa se desenvolver e atingir seus objetivos.
Existem alguns fatores patológicos e/ou sociais que dificultam esse processo e afetam a aprendizagem. Os problemas de aprendizagem geralmente afetam a percepção, atenção, memória, associação e fixação de informações, ocasionando problemas emocionais, sociais que envolvem a família e a escola, que se sentem impossibilitados e derrotados frente a estes problemas.

A psicopedagogia é uma das especialidades que tem como foco a DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM com caráter preventivo e terapêutico. O processo de aprendizagem  é quem norteia seu trabalho e envolve várias Ciências: a Pedagogia, a Psicologia, a Neurologia, a Fonoaudiologia e a Linguística. Todas elas devem caminhar juntas para o desenvolvimento do indivíduo, que deve ser visto como um ser, bio psico social, ou seja, que está em constante desenvolvimento cognitivo, afetivo e emocional.

Seu trabalho se desenvolve de maneira personalizada, a fim de, atender as necessidades de cada  cliente através de projetos, atividades pedagógicas e lúdicas, jogos didáticos, brincadeiras, atividades psicomotoras, desenvolvimento da autonomia, maturidade cognitiva e comportamental e demais atividades que sejam pertinentes ao desenvolvimento do individuo.

Inicialmente é realizada a avaliação psicopedagógica que contempla a anamnese com os responsáveis, e a aplicação dos testes específicos diretamente com o cliente: (EOCA – Entrevista Operativa Centrada na Aprendizagem, Avaliação das áreas sensoriais – Escala de Snellen e Teste de audibilização; Avaliação emocional – Técnicas projetivas, questionário específico e observação; Avaliação da área cognitiva – Provas piagetianas; Avaliação motora – Exame psicomotor; Avaliação escolar – Questionários; Avaliação pedagógica – Provas pedagógicas e TDE).

Após a avaliação, inicia-se a intervenção psicopedagógica onde se desenvolve atividades específicas conforme as dificuldades apresentadas pelo indivíduo, e se necessário, encaminhado para demais especialidades. Cabe ao psicopedagogo fazer os devidos encaminhamentos aos demais profissionais quando necessário e manter-se informado dos diagnósticos.

Além da avaliação e intervenção no consultório a visita do psicopedagogo na instituição de ensino é essencial para que seu trabalho seja efetivo, forma-se então uma parceria entre profissional, família e escola, todos com a finalidade de contribuir para a superação das dificuldades de aprendizagem que o individuo apresenta. É importante que todos os envolvidos caminhem juntos, para que o processo seja realmente efetivo.

A psicopedagogia também ocorre na instituição de ensino, no auxílio aos docentes e equipe diretiva, no atendimento aos pais e orientação aos alunos. Cabe  a este profissional fazer o encaminhamento do aluno a um profissional fora da escola quando necessário. O psicopedagogo institucional deve ter um trabalho preventivo, orientar e auxiliar os docentes na organização curricular para o aluno com dificuldades específicas, organização de projetos, auxilio aos alunos e profissionais com a principal finalidade de prevenir no processo ensino-aprendizagem.

A psicopedagogia busca na psicologia, psicanálise, psicolinguística, fonoaudiologia, neurologia, psicomotricidade, psiquiatria entre outros, o conhecimento necessário para beneficiar o individuo na sua aprendizagem.

O público da psicopedagogia inicia com crianças no início da alfabetização até o individuo na idade adulta.

“A abordagem psicopedagógica é norteada para o trabalho a partir dos recursos cognitivos e emocionais do paciente, de modo a permitir não apenas  o seu sucesso na aprendizagem escolar, mas ainda o desenvolvimento da sua autoestima, da autonomia pessoal e da socialização”. (Maria Irene Maluf)